sábado, 16 de maio de 2020

A TRÍADE DE DOMINAÇÃO: "DEMOCRACIA, PARTIDOS E ELEIÇÕES TEMPORÁRIAS”, DA TESOURA ESCARLATE!

Joilson Gouveia*


Já havíamos dito, editado, escrito e discorrido sobre a “politização da justiça” ou “judicialização da política” ou sobre uma temida, terrível e temerária ou gravíssima ditadura togada ou tirania judiciária, a saber:
Agora, para meditação e reflexão, a saber:
  • Quem não quer pensar é um fanático; quem não pode pensar, é um idiota; quem não ousa pensar é um covarde”. Francis Bacon.
  • Quando todas as armas forem propriedade dos governos ou dos bandidos estes decidirão de quem serão as outras propriedades” - Benjamin Franklin. 
Rememorando, ao ensejo, de que o plebiscito – referendo - resultou numa coisa e, no entanto, nos impuseram goela abaixo o Estatuto do Desarmamento, em 2003! A ver: http://direito.folha.uol.com.br/blog/plebiscito-do-desarmamento.

Desde então, à socapa, na surdina e de atalaia ou na calada da noite, adrede concertados em conluios mancomunados conspiram numa pugna árdua, ferrenha, tenaz, sorrateira e dissimuladamente vão anulando, cerceando e suprimindo ou esbulhando nossos direitos e garantias fundamentais: PRENDEM-NOS ENQUANTO INOCENTES, LIVRES E SOLTOS; E SOLTAM OS CULPADOS, CONDENADOS E PRESOS (?)
  • – Ora, convalidaram meros decretos autônomos abusivos, autoritários e arbitrários num ominoso acinte ao Princípio da Legalidade Legítima: “II - ninguém será obrigado a fazer ou deixar de fazer alguma coisa senão em virtude de lei; quebraram o Pacto Federativo (Art. 1º, caput) retirando o Poder do “soberano e poderoso povo”, mormente do presidente escolhido democraticamente, que somente existe para ser responsabilizado, cobrado e compelido a financiar como tem financiado – que tem envidado esforços e enviado milhões em recursos que sequer são gastos nos fins colimados - pelos confinamentos seccionados ou compartimentados (lockdow) e impostos pelos suseranos e alcaides feudais, que recalcitram, teimam, negam e sonegam os venenos venenosos salvadores de vidas humanas! 
Ademais disso, de há muito que o auxílio-reclusão é um direito salarial bem maior (e muito maior) que o salário-mínimo do laborioso trabalhador! A ver:
O poder judiciário – cujos membros sequer são eleitos ou escolhidos pelo “soberano e poderoso povo” -, no mais da vez, tem se mostrado muito mais complacente, condescendente ou conveniente e ominosamente conivente com os “coitadinhos excluídos sociais” de que com os laboriosos, profícuos e proficientes contribuintes ou dignos, decorosos e decentes cidadãos e cidadãs que os sustentam e os mantêm “supremos” no olimpo nababesco em que vivem, bem por isso “temos uma suprema corte totalmente acovardada”- Sir LILS.

Aliás, já havíamos assestado, a saber:
  • Temos dito, repetido, reiterado e replicado em nosso modesto blog: esse nosso STF, além de ser uma “alta corte totalmente acovardada” (como vociferado pelo maldito DECA-RÉU e presidiário-condenado solto, mas jamais LIVRE ou INOCENTADO) somente tem servido e se prestado para Soltar Todos Finórios, e degustar saborosos vinhos acompanhados de lagostas e camarões ou requintados pratos refinados e elitizados; é a mais nobiliárquica e nababesca corte aristocrática dessa argirocracia repleta de plutocratas mancomunados com os nobres “parlamentares”: representantes deLLes mesmos e somente deLLes próprios e caterva!
  • -“Atenção: Soltar presos às pencas não é puro amor à criminalidade. É formação de um exército revolucionário. O STF sabe muito bem o que está fazendo”. Olavo de Carvalho.
E dissemos mais, a ver:
Com efeito, não nos iludamos nem nos enganemos:
  • Estão forjando um "exército revolucionário" (de uma escória ou súcia matula que nada mais tem a perder) aliado e somado ao de João Pedro Stédile (movimentos sociais campesinos MTST e MST) com as FARC’s mais dezenas de milhares de haitianos, cubanos, bolivianos, venezuelanos e os refugiados (muslins) dos países árabes, ver aqui: https://gouveiacel.blogspot.com/2017/10/a-islamizacao-legalizada-vingara-em.html; tudo urdido, tecido, tramado ou anelado desde o “foro de SP” que gerou a URSAL ou tão sonhada Pátria Grande e Grande Pátria! 
Convém relembrar de que a Carta Cidadã foi forjada a fórceps, numa constituinte composta de anistiados fugitivos ou evadidos, que se diziam exilados que intentaram implantar a ditadura do proletariado, inclusive com meios subversivos terroristas e guerras de guerrilhas rural e urbana contra uma ditadura que jamais existiu: “ditadura militar”!

Bem por isso, temos dito que a Carta Cidadã não passa de um belo texto literário enganoso, enganador e ardiloso haja vista que diz ser soberano e poderoso o povo, mas apenas para pô-los no Poder sem nenhum poder de os expurgar ou os defenestrar de lá, bem como repleto de outras falazes, mendazes, mordazes e loquazes falácias ao dizer que “todos somos iguais perante a leiquando esta não é igual para todos, indistintamente:
  • “Todos são iguais perante a lei, sem distinção de qualquer natureza, garantindo-se aos brasileiros e aos estrangeiros residentes no País a inviolabilidade do direito à vida, à liberdade, à igualdade, À SEGURANÇA e à propriedade, nos termos seguintes” (Caput do Art. 5º, da CF/88)
Os privilégios, prerrogativas, benesses, benefícios, sinecuras, bonomias e mordomias e/ou os inescrupulosos, oprobriosos e criminosos foros privilegiados ferem de morte à ISONOMIA CONSTITUCIONAL desigualando os iguais.

Porém, o grande engodo enganador, ardiloso, falacioso e odioso é passar a ideia de que o povo é soberano porque tem o poder de eleger, em eleições democráticas, aos seus representantes partidários e, portanto, teríamos uma democracia e um estado de direito, aos quais não aceitam, nem respeitam nem obedecem nem cumprem, mormente se o vencedor não pertencer ao estamento burocrático, daí a tal tríade de dominação de que tratamos, a saber: https://gouveiacel.blogspot.com/2018/07/sustentamos-uma-escoria-nababesca-de.html.

Notem, pois, que eLLes recalcitram, teimam, resistem e renegam bem como também não querem aceitar, admitir, respeitar, obedecer e cumprir às premissas, princípios e preceitos constitucionais e, sobretudo, ao resultado manifesto, espontâneo e voluntário ou à clara vontade democrática de seus 57.797.847 milhões de eleitores!

Enfim, urge que o soberano e poderoso povo desperte e siga ao escólio de Benjamin Franklin:
  • “Aqueles que abrem mão da liberdade essencial por um pouco de segurança temporária não merecem nem liberdade nem segurança”, e;
  • "O momento exige que os homens de bem tenham a audácia dos canalhas".
Abr
*JG



Nenhum comentário:

Postar um comentário