sexta-feira, 13 de março de 2020

A AUTÊNTICA, REAL, VIVA E VERDADEIRA DEMOCRACIA É O LIVRE, PODEROSO E SOBERANO POVO PRESENTE NAS RUAS: AS RUAS SÃO DO POVO COMO O CÉU É DO CONDOR*!

Joilson Gouveia*



  • O POVO AO PODER
  • QUANDO nas praças s'eleva
  • Do povo a sublime voz...
  • Um raio ilumina a treva
  • O Cristo assombra o algoz...
  • Que o gigante da calçada
  • Com pé sobre a barricada
  • Desgrenhado, enorme, e nu,
  • Em Roma é Catão ou Mário,
  • É Jesus sobre o Calvário,
  • É Garibaldi ou Kossuth.

  • A praça! A praça é do povo
  • Como o céu é do condor
  • É o antro onde a liberdade
  • Cria águias em seu calor.
  • Senhor!... pois quereis a praça?
  • Desgraçada a populaça
  • Só tem a rua de seu...
  • Ninguém vos rouba os castelos
  • Tendes palácios tão belos...
  • Deixai a terra ao Anteu. (...) - Castro Alves.
Onde o povo não pode sair às ruas, para manifestar seus pensamentos, vozes e falas num coro unânime, uníssono, unívoco, numa clara, expressa e manifesta defesa de seus interesses, desejos e vontades, por sua própria iniciativa livre, espontânea, gratuita e individual ou coletivamente ou até mesmo ainda de obedecer e atender aos pedidos, ordens, apelos e reclamos de seu presidente eleito democraticamente por esmagadora maioria absoluta de votos se fosse o caso, pois sequer houve esse pedido ou apelo por parte do nosso Presidente, ao contrário até recomenda prudência em face de “um miserável vírus letal”, a ver: https://gouveiacel.blogspot.com/2020/03/o-que-mais-mata-o-brasileiro-h1n1.html cuja votação supera à soma de todos os parlamentares juntos, os quais tentam intimidar, impedir, coibir e proibir às livres, pacíficas, ordeiras e democráticas manifestações, jamais poderá se dizer uma autêntica, real e veraz democracia nem que soberano seja seu povo muito menos poderoso e detentor de “todo o poder”; não!

Isso não é nem pode nem nunca deverá ser uma democracia! Nunca nem jamais! Ter todo o poder de pôr seus representantes sem dispor de nenhum poder ou não ter o poder de depor, jamais poderá ser chamada de democracia!

Inclusive, já dissemos isso, a ver:
Ora, que democracia é essa em que seu presidente eleito, democrática, legal, normal, regular e constitucionalmente não poderá nem deverá convocar seu poderoso e soberano povo às ruas, mas alguns membros dos demais poderes republicanos podem e tentam impedir a esse mesmo povo de sair às ruas?

Notem bem: há até ardilosas, mendazes, mordazes e matreiras velhas raposas, escamoteadas aves de rapina agourentas e dissimuladas e sorrateiras matilhas de velhacas hienas escarlates traidoras dizendo juntamente com a mídia do estamento, establishment, intelligentsia e nomenclatura escarlates que os dois maiores traidores chantagistas também “podem ativar o Art. 142 contra o soberano e poderoso povo”; mas o presidente não o poderia nem o deveria. Pasmem! (?)

Onde a lógica?

O Presidente é o “comandante-em chefe supremo das Forças Armadas” e, por conseguinte, a priori, primeira, precípua e principalmente o comandante, chefe e líder de seu povo que o escolheu para esse fim: deixem-no governar, gestar, gerir o Erário, e presidir o país, principalmente! Bem por isso, "O momento exige que os homens de bem tenham a audácia dos canalhas". - Benjamin Franklin.

- A calhar, pois, para meditar na cama, plagiando Joelmir Betting:
  • a.“Somente os tolos acreditam que política e religião não se discute. Por isso os ladrões continuam no Poder e os falsos profetas continuam a pregar” - Alexandre Boaro;
  • b.Os sábios aprendem com os erros dos outros, os tolos com os próprios erros e os idiotas não aprendem nunca”. Provérbio Chinês, e;
  • c.Os tolos dizem que aprendem com os seus próprios erros; eu prefiro aprender com os erros dos outros”. Otto von Bismarck 
Lembremos, pois, dos nossos vizinhos bolivianos e peruanos, que saíram às ruas e defenestraram todos os pusilânimes do poder e do parlamento e até expurgaram do judiciário todos os corruPTos e corruPTores; dos venezuelanos, que demoraram, não saíram nem mais saem às ruas sem serem imolados, e, especialmente, dos paraguaios, que prenderam o maior jogador brasileiro dos últimos tempos, mas nós não conseguimos manter preso o maior ladrão de todos os tempos: um presidiário condenado e processado, "solto pelo STF": “uma alta corte totalmente acovardada”; que "não o considera culpado sem o trânsito em julgado" (soltem a todos os demais na mesma situação, então) mas, infelizmente, o soberano povo poderoso não os tiram do poder; porquê!?

Seríamos civilizados, politizados, urbanizados, pacatos e democratizados demais? Ou, ao contrário, somos aquilo que são eLLes: “totalmente acovardados”?

Nosso presidente quase foi imolado covardemente numa traiçoeira e traidora facada letal – salvo pela Graça Divina: sangrou, gritou, urrou, chorou, resistiu e superou às dores e às cirurgias e não desistiu nem abriu mão da defesa do povo soberano e poderoso; e este povo pretende desdenhar, desprezar e abandonar à luta desse bravo guerreiro patriota brasileiro? Não! Não sejamos ingratos, insensíveis nem totalmente covardes!

Desculpem-me, ainda que o MITO tivesse pedido ou mandado ir ou não-ir às ruas (e não o fez) deveremos sair às ruas sim: temer um vírus é ser covarde: “soldado que vai à guerra e teme a morte é um covarde”!

Estamos em guerra, não contra o tal de corona, mas contra todos os perigosíssimos vibriões corruPToresvírus e corruPTosvírus escarlates!
Abr
*JG



Nenhum comentário:

Postar um comentário