sexta-feira, 22 de maio de 2020

PALADINOS SUPREMOS IMPESSOALÍSSIMOS E IMPARCIALÍSSIMOS OU ISENTÍSSIMOS PERSCRUTADORES

Joilson Gouveia*

A vida, a liberdade e a propriedade não passaram a existir porque os homens fizeram leis. Ao contrário, é porque a vida, a liberdade e a propriedade já existiam que os homens fizeram leis”.
Se é assim, então nada pode ser mais evidente do que isto: a lei é a organização do direito natural de legítima defesa; é a substituição das forças individuais por uma força coletiva, à qual incumbe fazer somente aquilo que as forças individuais têm o direito natural e legítimo de fazer – proteger as pessoas, as liberdades e as propriedades, manter os direitos de cada uma e fazer com que reine a justiça”. – Frédéric BastiatA lei: por que a esquerda não funciona?

Já havíamos discorrido, em nosso modesto blog, sobre algumas premissas, preceitos, princípios ou axiomas, aforismos e brocardos forenses ou jurídicos que regem – ou pelo menos deveriam – ao nosso Direito Pátrio, inclusive, destacamos o seguinte, a saber:
  • Dentre axiomas, premissas, preceitos, princípios, normas, regras e leis, que regem o nosso sistema jurídico-positivo e, especialmente, o subsistema criminal, que estabelecem os limites legais que norteiam o controle, o convívio, os conflitos, lides, contendas, quizilas e querelas próprios de uma convivência social de um Estado Democrático que se pretende Humanitário e de Direito, consoante os dispositivos que fixam, estabelecem, limitam, especificam e classificam os direitos civis e políticos, as garantias, direitos e deveres fundamentais como Cláusulas Pétreas, como preceituado no inciso “XXXIX - não há crime sem lei anterior que o defina, nem pena sem prévia cominação legal”; do Art. 5º, de nossa Carta Política Cidadã, em combinação conjunta ao teor contido no Art.1º, CaputNão há crime sem lei anterior que o defina. Não há pena sem prévia cominação legal”, do nosso velho Código Penal.
  • *O princípio em análise, inspira-se na expressão em Latina nullum crimennulla poena sine praevia lege, que significa: não há crime nem pena sem lei prévia”. - Na íntegra in http://gouveiacel.blogspot.com/2020/04/nullum-crimen-nulla-poena-sine-praevia.html 
Aliás, ao ensejo, urge destacar o seguinte: “quem decide um caso sem ouvir a outra parte não pode ser considerado justo, ainda que decida com justiça” – Sêneca. Ou ao inolvidável escólio de Platão: “o juiz não é nomeado para fazer favores com a justiça, mas para julgar segundo as leis”; e, também, ao lapidar, luminoso e inolvidável sábio, brasileiro e negro, Luiz Gama: “não tolero o magistrado, que o brio descuidado vende a lei, trai a justiça – faz a todos injustiça. Com rigor deprime o pobre, presta abrigo ao rico, ao nobre, e só acha horrendo o crime no mendigo, que deprime”.

Sendo assim e assim sendo, não é despiciendo trazer a lume os breves apontamentos ou anotações abaixo:
Contravenções penais (art. 4º, da LCP) que estabelece não ser punível a tentativa.
Crimes culposos nos tipos culposos, existe uma conduta negligente, mas não uma vontade finalisticamente dirigida ao resultado incriminado na lei. Não se pode tentar aquilo que não se tem vontade livre e consciente, ou seja, sem que haja dolo.
Crimes habituais são aqueles que exigem uma reiteração de condutas para que o crime seja consumado. Cada conduta isolada é um indiferente para o Direito Penal.
Crimes omissivos próprios o crime estará consumado no exato momento da omissão. Não se pode admitir um meio termo, ou seja, o sujeito se omite ou não se omite, mas não há como tentar omitir-se. No momento em que ele devia agir e não age, o crime estará consumado.
Crimes unissubsistentes são aqueles em que não se pode fracionar a conduta. Ou ela não é praticada ou é praticada em sua totalidade. Deve-se ter um grande cuidado para não confundir esses crimes com os formais e de mera conduta, os quais podem ou não admitir a tentativa, o que fará com que se afirme uma coisa ou outra é saber se eles são ou não unissubsistentes.
Crimes preterdolosos são aqueles em que há dolo no antecedente e culpa no conseqüente. Ex. lesão corporal seguida de morte. Havendo culpa no resultado mais grave, o crime não admite tentativa.
Crimes de atentado são aqueles em que a própria tentativa já é punida com a pena do crime consumado, pois ela está descrita no tipo penal. Ex. art. 352 do CP evadir-se ou tentar evadir-se.

Ademais disso tudo e acima esposado, ao compulsar ao diploma substantivo penal não detectamos a figura típica antijurídica (ora, em apuração perscrutada pelo excelentíssimo senhor e soberano supremo decano daquela “suprema corte totalmente acovardada” daquele “amigo do amigo do meu pai”, que dispõe de um diligente, atento e vigiante paladino ou atuante “xerife da lei e da ordem” de um certo “impessoal Alexandre” – que pensa ser e se acha o “Grande” – nomeado pela “impessoalidade de um amigo seu”, que não aceita amizade de mais ninguém além e fora da sua própria – com ou sem “diálogos cabulosos”) do “suposto crime de uma alegada, aduzida, imputada e suposta tentativa de interferência”, na Polícia Federal – Instituição subordinada ao Chefe do Poder Executivo, enquanto Chefe de Estado, da União e, portanto, privativa ou exclusiva do próprio Presidente da República Federativa do Brasil.

Ao meu ver, sentir e parco entender, in caso, há uma amolgável tentativa de enquadrar a fórceps a suposta conduta do presidente no seguinte tipo penal:
Tráfico de Influência
Art. 332 - Solicitar, exigir, cobrar ou obter, para si ou para outrem, vantagem ou promessa de vantagem, a pretexto de influir em ato praticado por funcionário público no exercício da função: (Redação dada pela Lei nº 9.127, de 16.11.1995)

Entrementes, todos os funcionários subordinados (especialmente os delegados envolvidos e citados) subalternos denegaram tal e tais condutas da parte e por parte do PR Bolsonaro, embora alegadas, aduzidas e imputadas pelo ex-juiz e ex-ministro, que se autodemitiu e nada provou, “cujas ‘provas’ apresentou ao parquet do JN: William Bonner”. A ver:

Isto posto e posto isto, sem maiores motivos e mais razões plausíveis ou coerentes, condizentes e concretas ou substanciais e robustas, que deem azo, espeque e estribo ou fundamentem eventual investigação – nada encontrando no vídeo da reunião; eis que, surpreendentemente, o decano senil soberano supremo assim dispôs, instando ao competente titular da persecutio criminis, cuja o mesmo não tem:

“O ministro Celso de Mello, do Supremo Tribunal Federal (STF), enviou para a Procuradoria Geral da República (PGR) três notícias-crimes apresentadas por partidos e parlamentares que pedem novos desdobramentos na investigação sobre a suposta interferência do presidente Jair Bolsonaro na Polícia Federal.
Entre as medidas solicitadas estão o depoimento do presidente, e a busca e apreensão do celular dele e de seu filho, Carlos Bolsonaro, para perícia.
Esses requerimentos chegaram ao STF logo após o ex-ministro da Justiça Sergio Moro deixar o governo afirmando que o presidente tentou interferir na PF e que Bolsonaro buscou informações de investigações em andamento na Corte.
É praxe que ministros do STF enviem esse tipo de ação para manifestação da PGR, que é responsável por propor investigação do presidente perante o STF. Celso de Mello é relator do inquérito proposto pelo procurador-geral da República, Augusto Aras, que investiga os fatos narrados por Moro.
Em despachos enviados nesta quinta-feira (21) à PGR, o ministro Celso de Mello ressaltou ser dever jurídico do Estado promover a apuração da "autoria e da materialidade dos fatos delituosos narrados por ?qualquer pessoa do povo?".
Aras já defendeu em outros pedidos feitos no mesmo inquérito por deputados que a competência para esse tipo de linha investigação cabe ao MPF.
Celso de Mello enviou os casos para análise da PGR e ressaltou que compete ao PGR analisar os fatos colocados. Não há prazo para Aras decidir sobre os pedidos.
"A indisponibilidade da pretensão investigatória do Estado impede, pois, que os órgãos públicos competentes ignorem aquilo que se aponta na "notitia criminis", motivo pelo qual se torna imprescindível a apuração dos fatos delatados, quaisquer que possam ser as pessoas alegadamente envolvidas, ainda que se trate de alguém investido de autoridade na hierarquia da República, independentemente do Poder (Legislativo, Executivo ou Judiciário) a que tal agente se ache vinculado", escreveu o ministro do STF. (Sic.) - https://gazetaweb.globo.com/portal/noticia/2020/05/ministro-envia-pedidos-de-depoimento-e-de-apreensao-do-celular-de-bolsonaro_106064.php

Notaram?
Tudo isso é “imprescindível” (indispensável ou possível, exequível e factível) senão indisponível CONTRA o PR Bolsonaro e sua família e aos seus “amigos pessoais”; porém, como temos visto de ver, de ler e de ouvir ou assistir, nada disso pode acontecer nem deverá, só por exemplo, quanto às pessoas daquele “lobo solitário” (“o doido”) os seus adEvogados, o “Verdevaldo e seus hackers” ou, principalmente, aquele evadido ex-deputado que vendeu seu mandato ao “marido/esposa” do ativista dissidente invasor e violador de privacidade e intimidade, que são intangíveis, invulneráveis e invioláveis aos mesmos e aos próprios intocáveis “seres supremos”!

Esses seres supremos são mesmos supremos; não?

Encerro como iniciei, com Bastiat:
  • Mas, infelizmente, a lei não se ateve às funções que lhe são próprias. Ao extrapolá-las, não é que tenha apenas agido de modo irresponsável e discutível. Ela foi além: agiu em oposição direta a seu fim; foi usada para destruir o próprio objetivo, ou seja, para aniquilar a justiça pela qual deveria zelar; para limitar e destruir direitos que deveria respeitar. Colocou a força coletiva à disposição dos inescrupulosos que querem explorar, sem riscos, a pessoa, a liberdade e o trabalho dos outros; converteu a espoliação em direito, para defendê-la, e a legítima defesa em crime, para puní-la”. (Sic.) Op cit. P. 30.
É que, enfim, “quando a política penetra no recinto dos Tribunais, a Justiça se retira por alguma porta” – François Pierre G. Guizot (1787-1874). Mas, ressalte-se por supino:
  • Nós, os cidadãos, somos os legítimos senhores do congresso e dos tribunais, não para derrubar a Constituição, mas para derrubar os homens que pervertem a Constituição” – Abraham Lincoln.
Abr
*JG

quinta-feira, 21 de maio de 2020

ISOLAMENTO SOCIAL: “ENSAIO EXPERIMENTAL AO ANELADO SOCIALISMO DE ESCARLATES INTELIGENTES” – A PÁTRIA GRANDE DELLES!

Joilson Gouveia*


Primeiro, os governadores e prefeitos inconfidentes, insurretos e insubmissos ou concertados conspiradores, recorreram ao “amigo do amigo do meu pai” (daquela “suprema corte totalmente acovardada”) para convalidar, ratificar e homologar aos arbitrários, autoritários, obtusos, abjetos e abusivos decretos autônomos desses sublevados alcaides e suseranos feudais, espezinhando, burlando e fraudando à CF/88!

Com efeito, desse modo, quebrando o Pacto Federativo e esbulhando, tolhendo e cerceando senão suprimindo a todas as Garantias e Direitos Fundamentais individuais, sociais, trabalhistas, civis e políticos de miríades de laboriosos, decorosos, dignos e decentes cidadãos e cidadãs, ora confinados, recolhidos e reclusos à clausura domiciliar de um ensandecido, insano, inapto e inepto senão ineficiente ISOLAMENTO SOCIAL horizontal, geral, total, integral, amplo ou até mesmo parcial, com fulcro na “científica recomendação da OMS”, de 11 de março do ano em curso, cujo “Zeca-diabo” já afetara 114 países – bem antes do “maior carnaval do mundo e de todos os tempos, do planeta” – quando desdenharam das orientações recomendadas em DOU de fevereiro, do nosso PR Bolsonaro- ver abaixo!

Ora, depois da festiva orgia generalizada, ostensiva, promíscua e incomensurável libertinagem desmedida, porém bastante rentável e lucrativa aos alcaides e suseranos patrocinadores, os quais instaram ao STF aprovação de seus DECRETOS CONJURATÓRIOS ou EMANCIPATÓRIOS aos pusilânimes “TRANCADORES-DE-RUAS!

Porém, restou provado, o nefasto, funesto e nefando senão mórbido trancamento de ruas, confinamento ou isolamento social em nada evitou ou mitigou à temerária, terrível e temida infecção ou contaminação de mais 296 mil confirmados e a morte de mais de 19 mil pessoas, muito embora tenhamos mais de 116 mil recuperados, sarados, curados e salvos: o quê, como, onde, quando e quem os salvou?

Nada obstante, o sino “Zeca-diabo”, ainda assim ou infelizmente, fez suas vítimas e matou mais de 10% do total desses “recuperados” e bem menos que isso dos “infectados confirmados”, cujos índices caem perto de zero ou quase isso, se computados os mais 215 milhões de brasileiros habitantes!

Ou seja, índices insignificantes (estatisticamente: A morte de uma pessoa é uma tragédia; a de milhões, uma estatística”!Joseph Stalin) se comparados aos CVLI ou homicídios de 41.635 mil vítimas de CVLI, em 2019: https://www.poder360.com.br/brasil/numero-de-assassinatos-no-brasil-cai-19-em-2019-no-total-sao-41-635-mortes/. É fato!

Sem falar que “quem morreu, morreu, não volta mais”: https://gouveiacel.blogspot.com/2020/05/ha-empatia-aqui-quem-morreu-morreu-ou.html.

Eis, pois, que agora apelam, rogam e imploram socorro ao Governo Federal ou Central, à União e ao PR da República do Brasil, que não é respeitado por eLLes, e somente tem servido e só serve para abrir-lhes os cofres do Erário – quanto já foi repassado aos Estados para mitigar, controlar e combater o tal “Zeca-diabo”, que ninguém viu ou vê onde aplicaram todos os recursos enviados (?), inclusive, têm ocultado, escondido, sonegado e negado os venenos venenosos usados nas redes privadas de saúde -, para socorrer os inconfidentes, insubmissos, insurretos e sublevados ou concertados conspiradores, a pretexto samaritano, solidário e fraterno ou empatia humanista e humanitária dissimuladas, para assistir à imensa população dos mais carentes, pobres e miseráveis (?) que os próprios fizeram recrudescer com o famigerado ISOLAMENTO SOCIAL (Ora, “eLLe não havia acabado com a miséria e a pobreza ou tirado o Brasil do mapa da fome” – SQN!), e que comprova sua “científica incapacidade ineficiente e ineficaz”!

Ao ensejo, convém trazer a lume excertos de nossos textos, a saber:
  • Os supostos “médicos-cubanos” sobreviviam, aqui no Brasil, com apenas um terço de seus subsídios; enquanto dois-terços alimentavam los Hermanos castristas – coisa que os esquerdistas de esquerda e à esquerda acham natural, normal, aceitável e viável – Está aí uma “excelente ideia” ao novo governo brasileiro, para tirar o Brasil da grave crise legada pelos escarlates, nesses últimos dezesseis anos: pagar apenas um terço dos subsídios a todos os trabalhadores, funcionários e servidores públicos (até mesmo dos trabalhadores privados) brasileiros, confiscando dois-terços de seus subsídios, salários e remunerações, para equilibrar a balança fiscal, econômica e financeira e cobrir ao déficit público, mormente da Previdência e Seguridade Social, que tal?
  • Certamente, tal medida teria todo o apoio de esquerdistas de esquerda e à esquerda, que acham natural, normal, aceitável, tolerável e viável, afinal todos ganhariam igual percentual: apenas um terço do merecido, devido e justo ganho: dois-terço ao “governo” - Ao Estado tudo, fora do Estado nada! Bravos! SQN!
  • E se, por acaso, o novo governo se apoderasse de um terço e pagasse apenas dois terços a todos; não seria má ideia (isso na lógica de socialistas/comunistas/marxistas/stalinistas/trotskistas/gramscistas e fabianistas; claro!), ou aos ferrenhos, fervorosos e efusivos progressistas, igualitaristas, coletivistas e humanistas ou humanitaristas! Ou não?
  • Seríamos, enfim, todos iguais, miseravelmente iguais e na mesma miséria igual à cubana! Que bacana! Mas, Deus é mais!
  • (…) Em verdade, desde os idos de 2013, quando “demonizaram nossos médicos”, inclusive menosprezando-os ao ponto de adjetiva-los de “mercenários”, tanto os formados aqui quanto os brasileiros formados noutros países, aos quais são exigidos o REVALIDA, cujo exame fora “dispensado” aos cubanos da OPAS.
  • Mas o intento sórdido de Padilha – que construiu um hospital moderníssimo de última geração de doenças cardíacas, na Palestina – enquanto nenhuma UPA era construída no Brasil; sem falar nos 12.697 leitos fechados ou desativados, entre 2011 e 2013, quando urdiram o tal PAC (Programa de Ajuda Cubana) ou como o chamei: programa MAUS médicos MÁ Saúde(…) – Na íntegra in http://gouveiacel.blogspot.com/2018/11/urdiram-escravizaram-os-medicos-e.html 
Temos dito, enquanto apenas poucos mais de 30 milhões de brasileiros e brasileiras ou cidadãos e cidadãs pagadores de Impostos (sobretudo, de Renda) “chamados de contribuintes”, sustentarem aos 11 nababescos aristocratas autodeclarados “supremos”, e tantos mais doutras “cortes totalmente acovardadas”, todos viventes no monte olimpo, e aos nobres nobiliárquicos ou principescos 27 suseranos feudais e mais 5.570 alcaides provincianos adidos de miríades incomensuráveis de edis, mais um congresso nacional (513 deputados e 81 senadores representantes de si mesmos) sem mencionar seus respectivos suplentes, os quais não abrem mão do esdrúxulo, vil, imoral, anômalo e sórdido Fundão Eleitoral e Partidário nem admitem congelar ou reduzir seus próprios subsídios, mas querem solucionar congelando aos subsídios dos barnabés das três esferas!

Ora, “se estamos em guerra”, que todos indistintamente tenham seus subsídios reduzidos em até um terço, temporariamente, para que o “Estado-Deus” ou “estado-babá” assista aos desempregados, desamparados, desvalidos e aos “infelizes, pobres e miseráveis” – que jamais foram tirados desse status quo ante – ora, gerados senão majorados pelo oprobrioso, inescrupuloso e criminoso isolamento, confinamento ou prisão domiciliar causado pelos “trancas-ruas” de ocasião!
Abr
*JG




quarta-feira, 20 de maio de 2020

HÁ EMPATIA AQUI: “QUEM MORREU, MORREU...” OU FRATERNA SOLIDARIEDADE? - Imaginem se essa fala fosse de nosso PR Bolsonaro!?

Joilson Gouveia*


Causaria o maior estardalhaço midiático: interromperiam programações televisas ou radiofônicas ordinárias ou normais, para persistentes disparos de vinhetinhas ou chamadas e anúncios de hora-em-hora iguais àquela famosa (tele) loteria; fariam imediatos e intensos debates extraordinários ou especiais com renomados “analistas, comentaristas e especialistas de todos os tipos, classes e gêneros ou quejandos”, todos graduados ou pós-graduados e doutorados diplomados no “científico achismo-crítico”!
  • (Esses inteligentes (“dotôres”) diplomados são aqueles mesmos que votaram no “criador, na “criatura” e no “poste-2” derrotado em Sampa e pelo MITO)
O mundo viria abaixo ou os céus despencariam dos espaços aéreos e dos ares, cometas e meteoros despencariam sobre nossas “cabeças estúpidas de néscios” ou de “loucos” – como eLLes nos têm qualificados - num enfadonho NHEM-NHEM-NHEM infindável ou numa incomensurável senão infinita latomia, cantilena e ladainha próprias de autênticas, típicas e características atoleimadas carpideiras escarlates numas lengalengas sem fim!

Aliás, já há um tíbio manifesto ou pífio ensaio disso tudo sobre a fala do MITO que, numa live entrevista, com sua sagaz, sarcástica e satírica ironia peculiar, “recomenda aos de direita usarem cloroquina (hidroxicloroquina), e os de esquerda a beberem tubaína”.

Eis, pois, abaixo transcrito texto e contexto da fala do energúmeno, pusilânime, patife e vigarista presidiário condenado e deca réu – solto pelo “amigo do amigo do meu pai”, mas nem livre nem inocente – acima referido no título deste! A saber:
  • Sou totalmente contra prender menor que mata pessoas. Devemos colocá-lo na escola para reeduca-lo. Quem morreu, morreu, não volta mais. Agora deixar preso um muleque só porque ele matou, sou contra” (Sic.) - Sir LILS, julho/2015. 
Relembrem os pandêmicos H1N1 versus COVID-19:
  • Entretanto, vale ressaltar que, há 11 anos, quando ocorreu o surto da H1N1, Lula se referiu à pandemia como uma simples gripe. A declaração foi dada durante o seu programa de rádio semanal – Café com o Presidente – e voltou à tona após ser republicada em vários vídeos no YouTube.
  • Eu acho que essa gripe não é do tamanho que parecia que ia ser porque se vendeu uma gripe que já tinha tomado conta do mundo inteiro. Ou seja, eu penso que ela existe, ela é grave, mas aqui no Brasil nós estamos cuidando para evitar que se alastre em outras pessoas.
  • Em 2019, foram notificados 3.430 casos de H1N1 no Brasil, resultando em 796 mortes. Em relação à Covid-19, até o momento já foram confirmados 1967 contaminados no Brasil com 34 mortes e dois pacientes recuperados”. (Sic.) In https://pleno.news/brasil/politica-nacional/em-2009-lula-comparou-a-h1n1-a-uma-gripezinha.html
  • -  https://www.facebook.com/watch/?v=1665210273620721 – Assistam! 
Eis, pois, o que disse numa “live” o deca réu (preso-solto), a saber:
  • "Ainda bem que a natureza... criou esse monstro chamado coronavírus... permitindo que os cegos enxerguem... que apenas o Estado é capaz de dar solução a determinadas crises” (Lula) 
A seguir o adequado, tempestivo, coerente, pertinente, lúcido e inteligente comentário de Raquel Brugnera:
  • Viu, sabido? Sempre foi para dar PODER AO ESTADO! Nunca foi PARA PRESERVAR TUA VIDA!
  • Agora faz o L com os dedinhos que o ESTADO deposita 600 na tua conta e seja feliz!” (Sic.) – Apud Raquel Brugnera, pescado no Face-book! 
Entenderam ou será preciso desenhar?
Ou será preciso desenhar a explicação ou explicar o desenho ou quiçá ambos?
Abr
*JG





terça-feira, 19 de maio de 2020

"A CIÊNCIA SEM A RELIGIÃO É PARALÍTICA. A RELIGIÃO SEM A CIÊNCIA É CEGA". ALBERT EINSTEIN


 
Joilson Gouveia*

Do mesmo autor: “Estranha criatura o homem; não pede para nascer, não sabe viver e não quer morrer”. Temos dito, a ver:
Qual o sentido, razão e lógica ou fundamento e inteligência ou ciência de um linear isolamento (lockdow) horizontal, geral, integral ou total se nem mesmo o parcial resultou em efeitos eficientes e eficazes – como impedir o avanço letal do “Zeca-diabo” ficando em casa se os índices de letalidade só recrudescem?

Eis, pois, que intentam mitigar, evitar e barrar com decretos-autônomos:
  • 1.A Secretaria de Estado da Comunicação (Secom) ressalta que supermercados são serviços essenciais, ou seja, livres para funcionar em qualquer situação.
  • 2.A mesma regra se aplica a padarias, distribuidoras de água e outros serviços do mesmo gênero. Um exemplo disso é que em municípios do estado do Maranhão e também na cidade de Fortaleza, assim como em todas as outras cidades que já decretaram o fechamento total (lockdown), esses serviços continuam funcionando normalmente.
  • 3.No momento, está em vigor em Alagoas o Decreto Estadual 69.722, que tem o objetivo de reduzir o contágio pelo novo coronavírus. Em vigor até o dia 20 de maio, o decreto não proíbe o funcionamento de supermercados ou estabelecimentos do gênero.
  • 4.A norma estadual proibiu a circulação na orla de praias, rios, lagoas e outros espaços públicos, tornou obrigatório o uso de máscaras de proteção, trouxe regulamentações para o funcionamento do transporte público e determinou mais rigor na fiscalização do cumprimento das medidas”. (Sic.) – In https://eassim.net/e-falso-que-supermercados-fecharao-a-partir-de-quarta-feira-em-municipios-alagoanos/ - Destaquei. 
Breves ponderações, dúvidas e questionamentos: “perguntar não ofende” ou “o macaco que saber”; a saber:
  • 1.Nos grandes supermercados, cujos serviços “são essenciais” – nos médios, pequenos, vendas e mercearias não seriam? –, e “livres para funcionar em qualquer situação” (que chova, neve ou faça sol), nos quais os seus funcionários, empregados e trabalhadores estariam imunes, incólumes e invulneráveis ou resistentes ao assassino cruel e impiedoso “Zeca-diabo”, que pode infectar às famílias que a eles acorram, mormente e se, mais de uma pessoa por família, adentrar ao tal “serviço essencial” (imunizado ou desinfetado); como entender ou explicar isso?
  • 2.Notem bem: “padarias, distribuidoras de água e outros serviços do mesmo gênero” (?) seguem aos exemplos “exemplares” de municípios do estado do Maranhão e da proeminente, proficiente, profícua e progressiva Fortaleza, nos quais “esses serviços continuam funcionando normalmente” mesmo com o isolamento ou fechamento total: o tal “lockdow”; viram como é científico?
  • 3.A cereja do bolo: basta um reles autoritário, arbitrário e abusivo decreto autônomo – que revoga a cláusula pétrea da Carta Cidadã: “II - ninguém será obrigado a fazer ou deixar de fazer alguma coisa senão em virtude de lei;” (como convalidado, ratificado e homologado pelo “amigo do amigo do meu pai” daquela “suprema corte totalmente acovardada”),para surtir os efeitos eficientes e eficazes de proibir, reduzir, mitigar e destruir ou evitar o “contágio do Zeca-diabo” que não incomoda nem infecta nem contamina ou contagia a seu ninguém dos “serviços essenciais” nos citados “estabelecimentos do gênero”: bares, restaurantes, lanchonetes e etc. não se enquadram nessa taxionomia (?); segundo eLLes!
  • 4.Pasmem! Eis, pois, o suprassumo essencial, exponencial, fundamental e axiológico da premissa acadêmica ou “lógica científica” do neo, noviço, novíssimo e inusitado “decreto-LEI”: “proibiu a circulação na orla de praias, rios, lagoas e outros espaços públicos, tornou obrigatório o uso de máscaras de proteção, trouxe regulamentações para o funcionamento do transporte público e determinou mais rigor na fiscalização do cumprimento das medidas”; daí erguerem cercas e muros (iguais ao de Berlim) e usarem de suas guardas pretorianas municipais, anômalas polícias-paralelas (os amarelinhos) e suas regulares polícias desviadas de suas finalidade precípuas porquanto absurda, arbitrária e abusivamente molestarem, autuarem, algemarem e prenderem aos dignos, decorosos e decentes cidadãos e cidadãs livres, inocentes e inculpáveis por ousarem exercer o direito de respirar o ar puro de suas orlas lagunar e marítima, mesmo compelidos ao uso de abjetas máscaras que reduzem a oxigenação devida de uma respiração íntegra, inteira e completa, reduzida pelas máscaras! 
Bem por isso, é que temos questionado, editado, repetido, reiterado e replicado, objurgado ou contestado, em nosso modesto e aqui, a saber:
  • Ora, se o "isolamento social" (imposto desde sempre como medida sanativa sanitária) sequer tem evitado esses milhares casos e essas mais de 16 mil mortes, insistir nisso e nele (ISOLAMENTO) é INSANIDADE: fazer a mesma coisa e esperar resultados diferentes é pura demência!
  • Ademais, se depende de cada cidadão (ou cidadã) ISOLADO como que foram contaminados e mortos tudo isso: nas ruas ou confinados – o ar em ambiente confinado é um ar viciado ou intoxicado – o ar respirado nas ruas é distinto do ar do interior das casas? O ar dos presídios contamina, daí livrarem e soltarem os presos de seus confinamentos penais e penalizarem-nos com prisões-domiciliares (?)
  • Os curados foram medicados com que, como, onde e quem os salvou?
  • E se é o povo que resolve (isolando-se, mas soltando-se os isolados: presos – quantos destes foram infectados e mortos?), para que um “gestor” se tudo quem resolve é o povo!?
  • Ainda há os que querem o tal lockdow (aqueles parasitas do “fique-em-casa”) ... nem a paus, “Nicolau”!
  • Temos dito: https://gouveiacel.blogspot.com/2020/05/a-coisa-causa-e-as-narrativas.html. 
Por que o povo não pode nem deve escolher viver ou morrer ou sobreviver com os venenos venenosos, que salvaram centenas de milhares de vidas humanas, inclusive médicos?

Enfim, para mim, que sou servidor aposentado, após quase sete lustros efetivos de labor, poderia muito bem seguir aos berros do berrante berrado daquele bramido televiso “fique-em-casa” – seria bastante cômodo ficar deitado ou sentado (“num trono de um apartamento com a boca escancarada cheia de dentes esperando a morte chegar” – Raul Seixas) - de algumas famigeradas celebridades “que vivem de vaquinhas” e dos paupérrimos âncoras de NEWS sustentados de irrisórios subsídios ou daqueles ilustres agentes políticos, que vivem numa bolha ou no olimpo e subsistem de seus parcos senão ínfimos salários, dos quais não abrem mão nem propugnam usar do ominoso fundão eleitoral para mitigar à pandemia pandêmica ou “pandemência do Zeca-diabo” que só infecta, contagia, contamina e mata aos laboriosos trabalhadores, empregados e funcionários de serviços “não-essenciais”; estando com ou sem máscaras!

A ver: https://gouveiacel.blogspot.com/2020/04/trabalho-suja-as-maos-de-uns-e-de.html: enquanto os carrapatos, parasitas e párias do Erário – aposentados como eu – tiverem assegurados, garantidos e recebidos seus subsídios integrais e manutenidos dos "serviços essenciais" esse “Zeca-diabovingará, literalmente!

- Mascarados somente os Zorros, Batman e Durango-Kid etc.; a verdade não usa máscaras, que só omitem, ocultam e escondem a realidade!
Abr
*JG