sábado, 29 de abril de 2017

SOCIALISTAS SÃO MEROS ARTÍFICES DO MAL

Joilson Gouveia*

Meu preclaro, predileto, proficiente e profícuo literata caetés e tupiniquim “Peninha”, em seu blog http://blog.tnh1.com.br/ricardomota/2017/04/28/o-que-a-bancada-de-alagoas-aprendeu-com-as-manifestacoes-desta-sexta-feira/ traz-nos alguns questionamentos e alertas aos nossos “representantes parlamentares” – que mais representam a si mesmos, como todos sabemos e já replicamos – mas tentaremos desconcordar de alguns questionados pontos ainda que anua com outros abaixo transcritos, a saber:
· A greve geral desta sexta-feira não parou o Brasil, mas foi um passo fundamental para que os congressistas sintam a preocupação e a repulsa da maioria dos brasileiros – os que dependem dos salários e da Previdência social para viver com alguma dignidade – aos projetos de reforma da dupla Temer-Meirelles.” (Sic.) – destaquei.
Desconcordando, relembre-se que, nem foi tampouco o é “a maioria” do povo e os indigitados projetos remontam ao fabianismo anterior às “gestões do criador e de sua criatura”, inclusive defendida por eLLe, e contida na mesma PEC/241, de Joaquim Levy e Nelson Barbosa = Henrique Meirelles – vide nosso blog in http://gouveiacel.blogspot.com.br/2017/04/o-fiasco-de-uma-debacle-greve-geral-de.html -, o qual fizera parte dos governos desde então.
·Os números sobre a Previdência, fartamente divulgados – sem contraditórios – pelo governo na chamada grande imprensa precisam ser considerados, sim, mas com reservas.
· Por que, de repente, um país que gasta 47% do orçamento da União com pagamento da dívida pública, descobriu que são os assalariados e aposentados os culpados pela crise? E se todos precisam fazer um esforço, dar ainda mais – mesmo que não tenha -, como explicar os recordes de lucros das instituições financeiras?” (Sic.) – sem grifos no original.
Em verdade, de fato e na prática, desconfio que haja “crises” senão pretextos aos seus nefastos, nefandos e funestos subterfúgios de intentos ardilosos, escamoteados e dissimulados de “investirem, doarem e desviarem” mais grana brasileira aos países de bandeiras escarlates e demais tiranias mundo afora: “o socialismo só funciona com grana brasileira - Olavo de Carvalho” – ver mais aqui, a saber:
Inclusive, cite-se não só os investimentos noutros países de matizes escarlates, sobretudo os generosos perdões de dívidas ou doações e novos empréstimos aos caloteiros de sempre, bem como ardiloso repasse à paradisíaca ilhota cubana, escabrosa terceirização da saúde brasileira pelo tal “programa MAUS médicos, MÁ saúde”: a) http://gouveiacel.blogspot.com.br/2016/04/dias-melhores-virao-hao-de-vir-sim-bom.html e b) http://gouveiacel.blogspot.com.br/2013/07/um-programa-que-e-de-tirar-o-chapeu-mas.html, dentre outros mais no Blog.
· As mobilizações que, repito, não pararam o país, servirão de alerta para os as bancadas federais – inclusive aqui de Alagoas, com nove deputados e três senadores. Eles não podem simplesmente seguir a vontade do governo que, num momento de revelação do sobrenatural, descobriu quem são os responsáveis pelo buraco nas contas públicas.
· O que aconteceu, e deve acontecer mais ainda, vai além da visão da CUT, Força Sindical, partidos ditos à esquerda. É uma questão de interesse nacional, da maioria do povo brasileiro. O maniqueísmo cega, e cegos ficamos a ponto de não enxergar o Brasil real. A oitava economia do mundo, ocupando – segundo a ONU – a 79º posição no ranking do IDH (Índice de Desenvolvimento Humano): um dos dez países socialmente mais desiguais do planeta.
· Culpa de quem, cara pálida?(Sic.) – sem destaques no original.
Sinceramente: tens certeza de que ignora, duvidas ou não sabes mesmo de quem é a culpa? A resposta é muito simples: a redemocratização fracassou e deu-se o vaticinado por Ernesto Geisel e João Batista de Oliveira Figueiredo, confessado, inclusive, por Emílio (Odebrecht) – ver no meu Blog: a) http://gouveiacel.blogspot.com.br/2016/10/redemocratizacao-fracassada-direita.html e b) http://gouveiacel.blogspot.com.br/2016/11/eramos-felizes-ah-como-eramos-felizes.html.
·Temer não teme sua impopularidade, que só faz crescer, mas é de se perguntar se os nossos deputados federais e senadores também estão se lixando para os eleitores alagoanos.
·E se houve algum exagero, barbarismo, nas manifestações desta sexta-feira, será que o nosso modelo de Civilização é Marcelo Odebrecht?”
De lembrar que nem o atual, que fora o VICEideal, perfeito, preferido, proficiente e profícuo (escolhido a nove dedos, por duas vezes consecutivas), nem a criatura se importam com popularidade – só as celebridades dão valor a isso: aliás, aquelas mesmas mantidas pela Lei Rouanet, dentre outros intelectuais sinistros.
Ah! Para encerrar, trago a colação alguns excertos de Olavo de Carvalho sobre um paralelo que ele faz entre as matanças perpetradas pela PETAPeople for the Ethic Treatment of Animals, que teria sacrificado 14.400 animais – vide in www.petakillsanimals.com - com as atrocidades havidas no Camboja, no massacre de três milhões de civis mortos, mais de três vezes o total de vítimas da guerra (Leia-se a história completa em Triumph Forsaken. The Vietnam War, 1954-1965, de Mark Moyar – Cambridge University Press, 2006.
Diz-nos o mestre Olavo, a saber:
·         O paralelo entre a matança de animais e a de seres humanos não é fortuito: em ambos os casos um discurso atraente, condensado em slogans de grande impacto repetidos ad nauseam pela mídia, recobriu com o manto do prestígio moral uma gangue de sociopatas assassinos, criminalizando os que se opunham a seus panos macabros e transformando cidadãos inocentes em cúmplices daquilo que existe de pior no mundo. O fundo ideológico, nas duas ocasiões, é o mesmo: a inversão revolucionária dos sentimentos morais, a imposição do mal em nome do bem.
·         Educado nos princípios do relativismo, que entrou na moda quando eu era adolescente (embora os adolescentes de hoje acreditem ser os primeiros a tomar conhecimento dele), demorei muito para descobrir por experiência – e tive enorme dificuldade de admitir – que no mundo há pessoas muito boas e pessoas muito más, separadas por abismo irredutível. Hoje em dia, quem quer que proclame em voz alta a existência dessa diferença, que salta aos olhos na vida diária, é imediatamente acusado de ‘maniqueísmo’.
·         Mas isso não senão uma inversão a mais, pois o maniqueísmo, historicamente, consiste em equalizar o bem e o mal como princípio, neutralizando a diferença de valor que os separa. E eu não sou covarde o bastante para me abster de dizer as coisas como as vejo, só por medo de uma rotulação pejorativa cuja falsidade já se revela na própria semântica do termo.” (Sic.) – se grifos no original. – Vide p. 148/149, em “O mínimo que você precisa saber para não ser um idiota”.
Enfim, sobre o maniqueísmo assestado, faço de suas as minhas palavras, pois somente os bobos sinceros não enxergam ou não sabem ou fingem nem saber que todo o mal que há provém desses desgovernos escarlates, desde a debacle redemocratização, quando éramos felizes, e como fomos felizes!
A barbárie é uma constância típica e própria dos regimes socialistas!
Onde o socialismo prosperou (ou prospera), meu caro literata?
– Ah! Não vale citar os livros do MEC, da “pátria educadora”, combinado?
Temos dito, repetido, reiterado e replicado!
Abr
*JG

Nenhum comentário:

Postar um comentário