terça-feira, 4 de outubro de 2016

MAIOR DEBOCHE OU PROTESTO NÃO FOI A ELEIÇÃO DE “LOBÃO”!

Joilson Gouveia*

Os fatos falam mais que as opiniões e os números encerram quaisquer discussões, e aqui não quero ser contra nem a favor de quem votou ou deixou de debochar ou protestar, porquanto prefiro primar, prezar e cultuar ao escólio inolvidável, por exemplo, como bem dissera Eleanor Roosevelt: “grandes mentes discutem ideias; mentes medianas falam sobre fatos; mentes pequenas falam sobre pessoas” (Sic.)
Gostaria muito de saber quais são as suas ideias, programas, projetos e seus feitos, sinceramente!
Ainda que eleitores politizados tenham dito “que votariam” (mas não votaram; votaram?) ou que o neo fenômeno tenha já um trabalho em prol da comunidade carente, necessitada e desamparada – o que me faz lembrar de outros fenômenos eleitorais caetés e tupiniquins – que mais foram usados e usaram e usufruíram do que produziram em prol da Sociedade.
Eis, pois, o assestado pelo literata caetés tupiniquins sobre o inusitado campeão de votos, a saber:
Ouvi de eleitores politizados, e foram vários, que votariam no Lobão não por ele ser um produtor de filmes pornôs, mas porque realizava, já, um trabalho junto à sua comunidade muito antes de ser candidato.
Entre a garotada, fiquem certos, o “fenômeno das urnas” foi levado muito a sério.
- Que trabalho realizado é este? O que há de profícuo, educativo e salutar e saudável nesses labores comunitários?
Mais ainda: quem estaria nos bastidores desse “fenômeno”?
Ademais, essa garotada que o teria “levado a sério” é aquela mesma formada pela “pátria educadora” – fala sério!
A grande verdade, independentemente de ter sido um “deboche” ou “protesto”, é que sua eleição sequer chega a ser considerada diante da grande avalanche fragorosa de votos brancos, nulos e abstenções, numa cidade de mais de um milhão de habitantes e com 579.962 eleitores, dos quais o fenômeno obteve menos de 25 mil votos, sendo que o maior fenômeno ou campeão de votos, aí sim, como registram os números e dados, de real manifesto, protesto, revolta, descrédito ou desesperança, foi o assombroso número de ABSTENÇÃO, com 159.277, somados aos 41.612 de NULOS e 18.559 de BRANCOS, cuja soma perfaz 209.448; cujos números não batem, nem cruzam nem fecham à exação, com os de votos válidos 420.685 dados aos candidatos a prefeito, os quais deveriam perfazer aos anunciados 579.962 eleitores.
Enfim, fosse o fenômeno candidato a prefeito teria sido apenas o quarto mais votado dentre os sete sufragados, o que demonstra a basto a capilaridade pulverizada de uma gama de “representantes” plural e diversificada de uma Sociedade desacreditada, desesperançada, desorganizada e, sobretudo, despolitizada, mas que, ainda assim, nos deu o imenso prazer de saber, atestar, comprovar e de vê-los derrotados, pelos ordeiros, urbanos, pacatos, civilizados e democráticos cidadãos e cidadãs, na acachapante varredura de expurgo dos escarlates desse domingo, 02 de outubro; ou não?
Abr

*JG

6 comentários:

  1. Eu fico muito triste com esses votos de protesto ou de deboche ,isso só prova o que eu falo: o povo não sabe votar. Ou votam por favores pessoais ou votam por votar. Nunca votam em pessoas que tem um plano de governo que beneficie a todos fazendo a cidade crescer em saúde, educação,gerando empregos e etc. Votam em saco de cimento, copo de cachaça, emprego mamando na prefeitura e etc. Eu não tenho o governo que eu mereço, mas amargo no mal governo que o povo escolhe, infelizmente!!! Kelly.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Frutos de uma "pátria educadora"!
      Abr
      *JG

      Excluir
    2. Não acredito que seja só fruto da pátria educadora não, muitas pessoas de idade avançada também votaram nele, lamentável!
      Kelly.

      Excluir
  2. Como saber disso: que pessoas de idade votaram nele? :O
    Abr
    *JG

    ResponderExcluir
  3. E como saber que só os frutos da pátria educadora votaram nele? :O

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Foi o que dissera o autor do texto, a saber:"Entre a garotada, fiquem certos, o “fenômeno das urnas” foi levado muito a sério.” ;)
      Abr
      *JG

      Excluir