segunda-feira, 29 de junho de 2015

ESTADO LAICO VERSUS STATUS QUO ANTE OU IGNARO TERTIUS GENES

Joilson Gouveia*

Consabido que o Estado é e deve ser laico, independentemente de seu regime ou mesmo de seu sistema de governo, assim tem sido (LAICO*) desde a imutável, perene e eterna verdade histórica, comprovada, atestada e aferida pela Ciência dos homens (dos homo sapiens) de que Jesus, O Cristo, foi o maior exemplo vivo de como deveria ser um SER HUMANO, o qual aqui esteve nesse imundo mundo, trazendo, ensinado e proclamando a BOA NOVA, sobretudo ao proferir sua inolvidável e inderrogável, irreprochável frase simples, clara, direta e objetiva, a saber: “Dai a césar o que é de César e a Deus o que é de Deus!”, ao responder ao déspota, e sem nenhum proselitismo, urge deixar claro que Estado e Igreja não se coadunam, nem combinam ou "não se casam", ainda que aquele (Estado=Governo) seja substantivo, singular e masculino e esta seu oposto, antônimo ou contrário. Fato!
*lai·co (latim laicus, -a, -um, comum, ordinário) adjetivo e substantivo masculino
1. Que ou quem não pertence ao clero ou não fez votos religiosos. = LEIGO, SECULAR ≠ ECLESIÁSTICO, RELIGIOSO
adjetivo
2. Que não sofre influência ou .controle por parte da igreja (ex.: estado laico).
"laico", in Dicionário Priberam da Língua Portuguesa [em linha], 2008-2013, http://www.priberam.pt/DLPO/laico [consultado em 29-06-2015].
Ademais, desde a Grécia Antiga que se sabe ou se conhece ao aforismo “Gustibus et coloribus non est disputandum” – gosto e cor não se discute – nem se deve discutir o “sexo dos anjos”, sobretudo que o ultrapassado socialismo ou superado comunismo ou o atual equivocado , incompetente, ineficiente e ineficaz comunapetismo abomina a Fé porquanto Ateu ou ateístas seus asseclas, que espezinham, desdenham e desprezam às religiões haja vista ser o “ópio da humanidade”, como profanava o “deus deles”, a saber: “A religião é o suspiro da criatura aflita, o estado de ânimo de um mundo sem coração, porque é o espírito da situação sem espírito. A religião é o ópio do povo.” – Karl Marx.
Aliás, diga-se em passant, já discorremos sobre isso em nosso Blog, a saber:
Entrementes, ressabido, público e notório que o arauto comunapetralhista ou comunapetista reza na obsoleta, esfarrapada e imprestável ou impraticável cartilha dogmática ou seria programática do grande entelequitual comunista italiano preso, Antonio Gramsci, sobretudo de Joseph Goebbels, aquele ilustre da “mentira repetida mil vezes se torna verdade”, dos quais The Sir Bob** – The bobo – é ardoroso fã e tiete de carteirinha, bem por isso sempre açula, instiga, provoca e atiça suas contendas, lides e disputas sobre Instituições, Princípios e Valores de um povo que queira dominar: “dividir, para enfraquecer, e dominar”, pois enfraquecidos e divididos ou mesmo em dúvida sempre será cabível “a minoria organizada vencerá à maioria desorganizada”...;
**Leiam mais sobre ele, a saber:
http://gouveiacel.blogspot.com.br/2013/10/o-bob-e-sua-cartilha-subliminar.html;
Notem: perceba caro leitor, basta reler aos seus indefectíveis “brilhantes textos”, pois ele é ateu, comunista, socialista e materialista confesso, mas sempre usa textos bíblicos ou religiosos em seus achaques diários ou semanais ao longo de meses e anos a fio. Destaque-se que o ignaro confunde igreja de Deus com templos, centros ou construções religiosas, a Dele somos nós enquanto seres humanos! Enfim, ainda que os ateístas materialistas não admitam, nem aceitem nem pratiquem, somos e seremos todos, espiritual e eternamente, filhos de Deus, humanamente, espiritualmente ou materialmente; creiam ou não!
O Estado é laico, ainda que seu povo seja protestante, católico, budista, umbandista, “candoblecista”, espiritista ou espiritualista ou até mesmo ateísta, como o autor do indigesto, infame, injurioso e indigitado texto supra, que imputa derrota a quem nada perdeu. E se houve algum ganho ou vitória, para humanidade ou especificamente aos simpatizantes ou integrantes ou praticantes do LGBT ou seguidores do “indefectível” Tertius Genes, com o ora reconhecido, admitido e julgado vitorioso na mais Alta Corte do mais evoluído progressista, capitalista, justo, urbano e civilizado país do mundo, esta “vitória” não se deu nem foi no campo religioso, espiritual ou metafísico e sim no campo do dinâmico direito civil, político, jurídico, legal e social de dois indivíduos, sujeitos ou pessoas humanas, enquanto pares de um mesmo sexo, viverem como se fora um casal de sexos opostos; claro!
Nada mais justo, correto, humano e urbano que seja admitido aquilo, reconhecido, julgado e legalizado que já é práxis entre todos os seres humanos, salvo aos celibatários ou abstinentes sexuais! Simples, direto, claro, objetivo e naturalmente normal que vivam consoante seu modus pensandi et procedendi, genus vitae et genus vivendi ou livre-arbítrio é o supradito “gustibus et coloribus non est disputandum”, ainda que um PAR jamais seja um CASAL, isto é, física, material, biológica e cientificamente falando.
Sexo há dois, ainda que um indivíduo humano possa ser hermafrodita e ter ambos os sexos, masculino e feminino, bem díspar, diverso e diferente do bissexual ou homossexual ou heterossexual que possuem uma infinita ou ilimitada e não ultimada e bem definida sexualidade humana; não houve nenhum avanço ou novidade depois do que fora explicado por Freud; ou não? – Pelo “evoluir” da humanidade em breve tentarão celebrar ou reconhecer uma vida a dois entre seres de gênero humano e outros seres animais domésticos ou selvagens, desde que gere votos; claro; ou não?
Abr
*JG
P.S.: Sobre PAR e CASAL ver aqui, a saber:
http://gouveiacel.blogspot.com.br/2014/01/a-quizila-do-bloguista-versus-o-jurista.html 



6 comentários:

  1. Eu respeito os gays, lésbicas, eu penso que cada um faz da sua vida o que quiser. Querem casar que casem. Mas não incluem a igreja nisso, afinal o Estado é laico a igreja não, não podemos desrespeitar a igreja, cada um no se quadrado. E não acho que os cartórios sejam obrigados a fazer, que faça o cartório que concorde. Na minha opinião sofremos muito mais preconceitos que eles. Kelly..

    ResponderExcluir
  2. Correto! Certíssimo! Todos podem e devem ser respeitados, indepentemente de suas convicções políticas, credos religiosos ou não-credos, ou preferências sexuais, conforme assegura, garante e estatui nossa Carta Cidadã e prevê a ISONOMIA, olhe que não fui, nem sou nem serei contra aos ditos cujos citados, apenas destaquei que niguém perdeu com a "vitória" citada! Ou não?
    Abr
    JG
    PS: volte sempre, sim?

    ResponderExcluir
  3. Não acredito que a cidadã Kelly (que pelo comentário parece ser heterossexual) acredita realmente que uma maioria definida como regra sofre mais preconceitos do que uma minoria que foi silenciada desde que o mundo é mundo.
    Vai ter casamento homossexual sim, e cada um no seu quadrado sim! Quando a religião diz que homossexualismo é uma doença, e pior, uma abominação, está saindo do seu quadrado (bem quadrado mesmo) e invadindo a liberdade do outro. Deixe as tradições de Deus pra dentro da igreja.
    Cartórios não deveriam ser privatizados, pois são para servir a população, e não pra enriquecimento de famílias que se instituem como monarquias no monopólio das atividades civis do povo. Tem que ser obrigado sim! Ninguém tem o direito de barrar a União de duas pessoas maiores e conscientes do que estão fazendo.
    Essa de "par não é casal" é tão burra e ultrapassada quanto achar que o Brasil "vive um socialismo implantado pelo PT"
    Tá faltando estudar história, hein... Adora um "juridiquês" pra se afirmar inteligente, mas no final não fala nada com nada.
    Palavras apenas, palavras pequenas...

    ResponderExcluir
  4. Crer é questão de FÉ? Ou não?
    A reconhecida admissão de convivência, com comunhão ou não de bens, dos "pares" de iguais, que se juntarão (para viver como se fora casal) jamais procriarão como tal; só um casal - nunca um par - pode gerar frutos e vidas humanas! Tenho dito!
    Como digo, no nosso modesto texto, qualquer SER humano é livre para viver e conviver como e com quem desejar - estando ou não no "seu quadrado" - que se submeta ou corresponda aos mútuos, bilaterais, colaterais, recíprocos interesses afetivos, venais, sexuais, sociais e pessoais (individuais e de cada um dos dois indivíduos ou sujeitos, ou quem sabe três ou quatro... sendo maiores vivam e convivam), apenas disse e reitero: um PAR não forma um CASAL ainda que "casados sejam", apenas representam papéis no papel (contrato escrito), nos cartórios civis, que devem registrar quaisquer contratos sociais; claro! - E para servir ao povo, sim! concordo contigo em GNG, mas dentro dos liames legais! ;)
    Ah! Quanto ao "socialismo róseo ou de botequim" ou de "comunas caviar" ainda tens dúvidas?
    Podem ser "pequenas palavras", mas não deixam de sê-las: "palavras"!
    Enfim, não me escondo, me encubro ou me oculto em nicknames anônimos, alcunhas, apelidos e outros quejandos!
    Abr
    *JG
    P.S.: Em nenhum momento referi-me contra ou imputei ser doença essa ou aquela preferência sexual, tu o dissestes, cara rósea!

    ResponderExcluir
  5. Bem senhor quebrando sou hétero sim. Todos nós sofremos preconceitos porque vivemos num mundo de seres humanos que são imbecis.
    Bem,eles foram silenciados, mas não são mais e alguns deles, veja bem não estou generalizando, alguns deles querem enfiar guela abaixo tudo o que querem fazer e tudo o que pensam, e se nós não concordamos somos vítimas sim!
    Em momento algum eu disse que sou contra o casamento homossesual,eu disse que os cartórios não deveriam ser obrigados a fazê- los. Até porque Quebrando pode ter certeza que existirão os que façam. Se a religião diz que ser homossesual é doença, isso é problema deles, eu nunca disse que era doença até porque eu não acho que seja. Eu disse apenas que nunca façam leis que obriguem as igrejas a fazerem. E eu também respeito a posição deles, ninguém é obrigado a pensar igual. E você já foi preconceituoso quando disse: ( bem quadrado mesmo). Se eles são quadrados o problema é deles, eles não são obrigados a terem a mesma cabeça que a sua.
    No não essencial tem que haver liberdade!
    Concordo quando você disse que os cartórios não deveriam ser privatizados, é uma forma de ganhar muito dinheiro mesmo. Mas já que são não deveriam ser obrigados não! Ninguém ta barrando a união de ninguém é só procurar os que fazem e pronto.
    Par não é casal mesmo, não geram filhos, portanto casal é homem e mulher, como seu pai e sua mãe te geraram.
    Pelo jeito deve ser petista, isso eu nem vou comentar, mas que vivemos num socialismo disfarçando de democracia isso não podemos negar, porque isso seria tão burro quanto achar que par é casal!!
    Ahhhhhv e eu gosto muito dessa música palavras, viu!!!

    ResponderExcluir
  6. Ainda que não a tenhas assinado, sei que se trata da cara internauta Kelly, muito boa resposta ao CENSOR que nos tenta imputar "palavras" que sequer mencionamos, nem no bojo do texto nem nos comentários e réplicas aqui transcritos!
    Muito bem, voltem sempre!
    Abr
    JG

    ResponderExcluir