quinta-feira, 11 de dezembro de 2014

DIREITOS HUMANOS NADA MAIS É QUE O SIMPLES, MERO E FIEL ACATAMENTO, CUMPRIMENTO E RESPEITO AOS LIAMES LEGAIS.

Joilson Gouveia*

Ainda que me alcunhem de saudosista, conservador ou até de coxinha, de direita ou fascista, por defender ao Império da Lei e somente dela e dentro dela, há uma esquadria legal que serve de molde, modelo, “modus” ou padrão comportamental (pelo menos deveria servir) aos cidadãos, portanto, nunca, jamais e em tempo algum submeter-nos à vontade dos “príncipes”, que deveriam submeter aos seus liames legais, sobretudo, aos constitucionais, que juram solenemente cumprir, respeitar e fazer cumprirultimamente virou falácia, bazófia ou faz-de-contas, seja no nível federal seja no estadual ou municipal!
Recordo-me dos idos de 80 e 90 de uma OAB una, unida, indivisível, intransigente, atuante tal um Paladino defensor do cidadão e da cidadania, mormente de seus direitos inalienáveis, impostergáveis, sacrossantos ou fundamentais de todo o homem, civis e políticos, – e isso até me inspirou ao vestibular para cursar Direito, na Ufal; pensei: serei mais um nesse exército cidadão em defesa da cidadania e da sociedade sob a égide da legalidade maior -, o que foi a OAB e o que tem sido nessa conjuntura Nacional e até Estadual, por suas seccionais?
Onde aquela intrépida, audaz, corajosa e destemida defensora dos interesses, do patrimônio, dos direitos, da integridade, da incolumidade e da cidadania do pacato cidadão e da sociedade, em geral? Hoje, desfralda bandeiras contra a ordem, a legalidade, a ética e o dever-poder do exercício regular do direito e estrito cumprimento dos deveres de forças policiais de preservação da ordem e da segurança públicas.
Todos querem saber, ensinar e entender de SEGURANÇA PÚBLICA; há “ólogos” especialistas de todos os gêneros e espécies em ORDEM e SEGURANÇA PÚBLICAS! Entrementes, nenhum deles vivenciou uma hora sequer de serviço policial (civil ou militar) diante de meliantes ou delinquentes juvenis entorpecidos e drogados, fortemente armados até os dentes, amparados, protegidos e guarnecidos pelo tal de ECA, que mais tem forjado bandido que reformado ou regenerado crianças ou adolescentes – vejam em nosso Blog, a saber: http://gouveiacel.blogspot.com.br/2011/08/o-brasil-acaba-com-o-tal-de-eca-ou-ele.html -, mas sempre sabem que o cidadão policial errou ou exacerbou, exagerou ou ultrapassou seus limites legais.
Já dissemos, reiteramos e repetimos aqui mais uma vez: o policial não é e nunca foi nem será o ANJO VINGADOR DA SOCIEDADE, NEM SEU VERDUGO, ALGOZ E CARRASCO, mas, sobretudo, também não o é nem deve ser ofertado em SACRIFÍCIO, EXPIADO ou IMOLADO, como querem os deuses e semideus e dos Direitos Humanos, mormente aquela chorosa dissimulada secretária nacional, que ofende aos policiais a todo instante, mas se nega saber, ouvir e ver que o policial é um cidadão, humano e está sendo perseguido e morto, inclusive, além de desarmarem ao cidadão, agora tramita naquela “casa de mãe Joana” projeto para desarmar aos policiaisjamais desarmaram aos meliantes, bandidos, assaltantes, assassinos, estupradores e delinquentes adolescentes e juvenis... 
São mais de doze anos de recrudescimento da violência em todos os níveis. Aliás, até a casa, que fora o asilo inviolável do cidadão, nesse interregno, já deixou de ser o LAR DOCE LAR do cidadão de bem, que vive “preso”, assustado, horrorizado e amedrontado dentro se sua própria casa e com receio de ir às ruas.
Vejam no URL do Blog http://gouveiacel.blogspot.com.br/2012/12/crimes-homicidios-assaltos-roubos.html. É justamente disso que trato: não cabe a polícia distinguir se há ou não “bandido”, tá lá, dê-nos a honra de ler, sobretudo, e comentar prol ou contra, sim?
Civilizados ou ainda não, te asseguro que qualquer que seja o cidadão, infrator ou não, enquanto acatando as ordens policiais não receberá “cascudo”, tenha gravata ou não. Mas, ao contrario, ou seja, desacatando, descumprindo ou resistindo será compelido obedecer pelo uso legal da força conquanto dever-poder quando do estrito cumprimento do seu dever-poder e seu exercício regular do Poder de Polícia, mormente se em FLAGRANTE DELITO.
Aguardo leitura e diatribes, sim?
Reitero humanistas e castrenses saudações!
Abraços.
*JG

Nenhum comentário:

Postar um comentário